top menu

Tag Archives | Microsoft

SkyDrive – O Cliente iOS para a Cloud da Microsoft

A Microsoft está a fazer uma forte incursão no mundo das aplicações para iOS. Tenho lido algumas teorias, opiniões e explicações sobre esta cada vez mais acentuada tendência da gigante do software. Há uma linha de opinião que pensa ser uma estratégia para não desvincular os utilizadores daquilo que sempre foi a mais valia da Microsoft, o standard da utilização nas ferramentas. Isto traduzido quer dizer exactamente o quê?

Actualmente cada sistema operativo mobile já apresenta ferramentas alternativas ao Office da Microsoft, claro que não falámos em todo os seu expoente, mas nas funções mais básicas e as mais utilizadas, o iOS com o iWorks e no Android com o Docs da Google muita coisa já é feita sem haver necessidade de um MS Word ou de um MS Excel. Se a Microsoft não aposta neste tipo de aplicações… um dia poderá ver a sua quota de influência baixar consideravelmente.

É aqui que entra também esta nova ferramenta de acesso à cloud gratuita da Microsoft, o SkyDrive para iOS. Continue Reading →

Partilhar

Apple é já uma marca mais valiosa do que a Microsoft

De acordo com um recente estudo da Brand Finance, citado hoje pelo tek, a Apple é agora a segunda marca mais valiosa do mundo, tendo à sua frente apenas a marca Google. A marca Microsoft foi assim pela primeira vez ultrapassada pela Apple e pela Google, descendo para a terceira posição.

Apple Versus Microsoft

O relatório em questão apresenta diversos indicadores, como o valor da marca, o rating da marca e o valor da empresa. Em termos de valor da empresa, no ramo tecnológico, a Apple aparece também em primeiro lugar a nível mundial, bem acima da Google e da Microsoft. Continue Reading →

Entrevista de Steve Jobs na D8

A entrevista de Steve Jobs, abriu ontem, a conferência D8, organizada pelo Wall Street Journal. A entrevista foi comandada por Walt Mossberg e Kara Swisher, que já tiveram oportunidade de entrevistar o CEO da Apple em edições anteriores da conferência D: All Things Digital.

Apple ultrapassa Microsoft nos mercados: Jobs considera a situação surreal.

Flash e a carta aberta: Jobs considera que a Apple está sempre na vanguarda tecnológica e a Adobe nunca apresentou uma solução viável. Preferiram avançar para o HTML5. Uma coisa é certa, a Apple tenta sempre apresentar o melhor produto. Se for realmente bom, as pessoas compram. No caso do iPad, parece que estão a gostar muito.

E-mails: Steve Jobs abordou a questão da sua nova forma de comunicação com o exterior.

Sobre o protótipo do iPhone: Há uma investigação a decorrer e existe a dúvida se o iPhone foi realmente roubado ou se ficou esquecido no bar. Jobs referiu ainda que teria que tomar uma posição em relação a esta situação. Caso não o fizesse, estaria a ir contra os seus princípios. Mais valia, abandonar o cargo que ocupa.

Suicídios na Foxconn: Steve Jobs confirmou que a Apple está atenta à situação. Referiu ainda que a taxa de suicídio até é baixa, quando comparada com a taxa de suicídios dos EUA, mas que não deixa de ser uma situação preocupante.

Guerra de plataformas com Microsoft, Google, sites sociais e o Google como concorrente: Jobs considera que nunca houve guerras e não assume o mercado com essa postura. Quanto ao Google, Steve Jobs refere que a empresa de Palo Alto decidiu competir com a Apple e que a Apple não vai entrar no negócio das pequisas. Apesar dessa competição, a Apple e o Google vão continuar a trabalhar em conjunto.“

Sobre a aquisição da Siri e as pesquisas: Jobs insistiu que a Siri não é uma empresa de pesquisas, mas sim de IA – Inteligência Artificial e quando a Apple a adquiriu, foi com o objectivo de aproveitar o seu know-how em IA e que não está interessado no mercado das pesquisas.

Outras operadoras nos EUA: Jobs avançou apenas que havia vantagens em ter parcerias com mais operadoras nos EUA, mas essa resposta seria sempre um pouco óbvio, mas vez que essa poderá ser uma das informações cuja confirmação será feita na próxima terça-feira.

Sobre tablet PCs: É neste segmento que Jobs esclareceu que o caminho seguido pela Microsoft era claramente errado, ao tentar adaptar um Sistema Operativo de desktop a um tablet. Era necessário começar do zero e desenvolver um sistema operativo pensado para ecrãs mais pequenos é tácteis. É neste momento que Jobs revela que o desenvolvimento do tablet, hoje conhecido como iPad, foi iniciado antes do iPhone. Após os primeiros protótipos, a Apple decidiu adiar o tablet e apostar num smartphone. Daí resultou o iPhone, com o sucesso que conhecemos.

Sobre revistas, publicações e a iBookstore: Foi também abordada a questão das revistas e livros e de que forma, se poderá salvar o modelo de negócio a esse tipo de publicações. Steve Jobs expôs a sua opinião.

Processo de aprovação de Apps na App Store: Jobs defendeu que a Apple segue por dois caminhos, que os utilizadores podem seguir. O primeiro é um caminho livre através do HTML5, isto é, através de WebApps disponíveis através do browser. O segundo é um caminho controlado e suportado pela própria Apple, a App Store. Não usar APIs privadas, ser clara no na função e não crashar, são algumas das regras impostas pela Apple às aplicações submetidas na App Store.

Sobre o trabalho na Apple: Steve Jobs também revelou na entrevista de que forma é o seu trabalho na Apple. Revelou que a empresa de Cupertino se organiza como uma startup, apesar da sua dimensão e reúnem-se diariamente durante 3 horas, para discutir todos os projectos em curso na empresas, para que todos tenham uma noção clara do que está a ser feito. Gosta que as pessoas contribuam com ideias, da mesma forma que gosta de contribuir com ideias.

iAds: Jobs confessou que os sistemas de anúncios da concorrência são de qualidade duvidosa e deseja que a Apple tenha um papel importante nessa área. Embora não tivesse sido feita qualquer referência, parece-me claramente que é aqui que a Apple enfrenta o seu concorrente, o Google. Não é através das pesquisas, mas sim através da publicidade na web, neste caso, nas Aplicações no iPhone OS.

Privacidade: É neste tópico que Jobs aproveita para dar uma alfinetada no Google. Mossberg recorda alguns casos recentes relacionados com a privacidade, como o Facebook, Google Buzz… e Jobs completou com o caso do recolha dos dados relativos às redes Wifi, através dos automóveis do Street View do Google. Jobs reafirmou que a questão da privacidade é importante para a Apple. É possível comprovar isso nas janelas de confirmação da partilha da localização nas aplicações que solicitam essa informação. A Apple já foi criticada por ser bastante conservadora, mas Steve Jobs mantém o critério.

Entretanto, já foi divulgado um vídeo com o resumo da entrevista de ontem. Oportunamente será divulgado o vídeo completo.

Steve Jobs na Confererência D

Entre os dias 1 e 3 de Junho, realiza-se a Conferência D, uma conferência organizada pelo Wall Street Journal, com contará com a participação das mais importantes figuras “tecnológicas”.

A abertura será feita com a entrevista de Walt Mossberg a Steve Jobs. Curiosamente, a entrevista será feita precisamente uma semana antes da keynote da WWDC, onde provavelmente, Steve Jobs apresentará o novo iPhone.

É pouco provável que Steve Jobs faça considerações sobre os temas que estarão em destaque na próxima semana, mas não deixa de ser curioso, que Steve Jobs, tivesse aceite o convite para comparecer neste evento, antes da WWDC. Eventualmente falará do sucesso do iPhone OS, do iPhone, do iPod touch e naturalmente, do esmagador sucesso do iPad. Com certeza, que será abordada a questão do “novo Steve Jobs”, que responde directamente a mails e com certeza que Walt Mossberg não deixará de colocar questões sobre os novos rivais da Apple, o Google (com o Android e não só), a Adobe e naturalmente a Microsoft, que se está a tornar, “politicamente falando”, num “underdog”, não deixando de ser o gigante que é.

O evento terá o seu início às 2h da manhã, hora de Lisboa (18h – hora do Pacífico nos EUA) e pode ser acompanhado em directo no Engadget.

Opera Mini Browser enviado para aprovação

Ontem, o Opera Mini Browser para iPhone OS,  foi enviado oficialmente para aprovação na App Store da Apple.

Como é publicamente conhecido, a Apple evita aprovar aplicações que duplicam a funcionalidade de aplicações que a própria Apple disponibiliza. É o caso do Mail e do Browser com o Safari Mobile.

Só que neste caso, toda a promoção em redor do Opera Browser para o iPhone pode correr contra a Apple. Sabendo-se desta postura da Apple, o pessoal do Opera Software criou um contador para se saber quando tempo demorará a Apple a aprovar a aplicação, caso o faça, claro. Esta acção poderá abrir naturalmente espaço para um processo da Opera Software contra a Apple.

De resto, não compreendo esta postura da Apple. Recentemente, a Microsoft foi condenada e obrigada a facilitar a instalação de outros browsers alternativos ao Internet Explorer no Windows. Não percebo, porque razão a Apple não segue o mesmo caminho no iPhone, iPod touch e a partir de dia 3 de Abril, no iPad.

Terá a Microsoft mudado de táctica?

Há dias, o COO da Microsoft, Kevin Turner terá revelado que o departamento jurídico da Apple tinha entrado em contacto com a Microsoft, para que esta suspendesse a campanha “Laptop Hunters”. No próprio dia, muitos desconfiaram se de facto este contacto teria acontecido realmente.

Hoje sabemos que a Microsoft terá editado o último anúncio, retirando a referência directa ao preço do Mac. Mas teria realmente a Apple razões para se queixar? Terá mesmo a Microsoft receado alguma acção judicial da Apple? O contacto da Apple terá mesmo existido?

Para já uma coisa é garantida…passámos deste anúncio…

…para este…

Façam a vossa própria análise…mas teria mesmo a Apple razões para se queixar? Vamos olhar para o passado recente…

Continue Reading →

A resposta da Apple à campanha da Microsoft

Num artigo publicado esta semana no BusinessWeek, a propósito de mais uma análise da campanha anti-Mac recentemente iniciada pela Microsoft, surge uma breve resposta que mostra a posição da Apple nessa matéria.

De acordo com Bill Evans, porta-voz da Apple, “um PC não é nenhuma pechincha, quando não faz aquilo que você quer”. “Uma coisa em que a Apple e a Microsoft podem estar de acordo é que todos pensam que o Mac é fixe. Com os seus óptmos designs e software avançado, nada consegue batê-lo, a qualquer preço”.
Continue Reading →

Microsoft inicia campanha anti-Mac

A Microsoft acaba de lançar na Internet uma série de anúncios centrada nas diferenças de preços entre Mac e PC. Esta é a mais recente resposta da empresa de Redmond à célebre campanha “Get a Mac”, que expôs de forma hilariante os principais defeitos dos computadores baseados em Windows. Aqui fica um destes anúncios controversos…

<a href="http://video.msn.com/?mkt=en-US&#038;playlist=videoByUuids:uuids:0bb6a07c-c829-4562-8375-49e6693810c7&#038;showPlaylist=true&#038;from=shared" target="_new" title="Laptop Hunters $1000 – Lauren Gets an HP Pavilion">Video: Laptop Hunters $1000 – Lauren Gets an HP Pavilion</a>

A menina do vídeo, bem sorridente mas talvez mal aconselhada, acredita ter encontrado a máquina dos seus sonhos. No entanto, é bem provável que, a curto prazo, venha a ter alguns problemas que aumentarão substancialmente o custo real do seu computador.
Continue Reading →

Microsoft corrige incompatibilidade com iPod

A Microsoft disponibilizou esta semana uma actualização para o Windows Vista que, entre outros erros, vem solucionar um problema de incompatibilidade com os iPods. O problema em questão, que havia sido já detectado pela Apple e reconhecido pela própria Microsoft, manifestava-se quando um utilizador do Windows Vista usava a função “Remover Harware em Segurança” (o procedimento habitual em Windows para remover dispositivos USB). Em determinadas circunstâncias, o iPod poderia ficar danificado. Continue Reading →

CMS: Wordpress | woo: adaptado por Artur Azevedo